Notícias

AsMinC repudia atos de abusos e assédios praticados pelo presidente da Fundação Cultural Palmares

A AsMinC reforça seu compromisso com a justiça e equidade social e racial, e repudia os atos de abusos e assédios praticados pelo presidente da Fundação Cultural Palmares, Sr. SERGIO CAMARGO, noticiados amplamente na imprensa e denunciados ao Ministério Público do Trabalho. Tal comportamento fere todo e qualquer princípio moral e ético necessário ao exercício como servidor e gestor público.

A entidade se solidariza com os(as) colegas e se coloca à disposição para apoio em qualquer atuação administrativa ou jurídica que se fizer necessária para combater os absurdos relatados.

A DIREÇÃO

Servidores federais da Cultura publicam manifesto em defesa do Patrimônio Público e Cultura brasileiro

Em manifesto, servidores federais das instituições da Cultura expressam preocupação com o possível leilão de imóveis públicos que o governo federal pretende realizar no Rio de Janeiro.

“Não é surpresa a maneira preconceituosa, equivocada e tacanha como os atuais dirigentes do governo federal tratam o setor da Cultura. Mas, nos últimos dias, recebemos a notícia da venda de alguns imóveis no Rio de Janeiro com um desgosto maior”, afirmam servidores no documento.

A notícia da intenção de venda do Palácio Gustavo Capanema (RJ) e outros imóveis tombados surpreendeu os servidores das instituições de Cultura, para os servidores trata-se de uma clara ameaça ao patrimônio público.

O prédio, tombado em 1948 pelo IPHAN, preserva elementos singulares do movimento modernista brasileiro como os jardins projetados por Burle Marx, os famosos painéis de Cândido Portinari, esculturas de Bruno Giorgi, Vera Janacopulus, Celso Antônio, dentre outras obras artísticas consagradas.

 

Baixe manifesto o PDF.

 

Entidades da cultura reúnem-se a fim de discutir ações em defesa do Palácio Capanema

Em reunião geral, na última sexta-feira (20), servidores de instituições federais ligadas à pasta da Cultura discutiram e deliberaram ações de articulação em defesa do Palácio Gustavo Capanema e do patrimônio público sob ameaça, assim como a organização do Fórum da Cultura.

Estiveram presentes no encontro as seguintes entidades: Associação da Biblioteca Nacional (ASBN), Coletivo do IPHAN, Asserte e AsMinC. A análise dos presentes é a de que o governo federal continua com a ação sistemática de enfraquecimento das políticas culturais no Brasil, deixando os servidores à deriva de debates e decisões que impactam o setor, alvo de ataques contínuos desde a extinção do Ministério da Cultura.

A notícia da intenção de venda do Palácio Gustavo Capanema (RJ) e outros imóveis tombados surpreendeu os servidores das instituições de Cultura, tratando-se de clara ameaça ao patrimônio público, que é uma importante referência da nossa arquitetura e do pensamento sobre o patrimônio cultural brasileiro. Outros imóveis tombados e que abrigam acervos culturais de relevância nacional também estão sob ameaça, caso seja levada adiante a venda pelo Ministério da Economia.

Confira aqui as deliberações da reunião:

1) Elaboração do Manifesto dos Servidores Federais da Cultura, tratando da preocupação com a venda dos imóveis da União que são patrimônio cultural brasileiro;

2) O texto estará aberto para edição coletiva dos servidores até às 12h da 5ª feira, 26/08. O Manifesto poderá ser disponibilizado nas redes de cada associação (imprensa, parlamentares, etc.);

3) Recomendação para os servidores buscarem dados sobre os imóveis que estão sob ameaça de venda no Rio de Janeiro, assim como sobre o processo de restauração do Palácio Gustavo Capanema para subsidiar a ASSERTE/Funarte na audiência pública com representantes da União, Estado e Município na segunda (23/08)

Foto: Marcio Viana/Iphan

18 de Agosto – Dia Nacional de Mobilização e Paralisação – #18ADiadeLuta

Dia 18 de agosto, participe da Greve Geral dos Trabalhadores e das Trabalhadoras dos Serviços Públicos e do Dia Nacional de Lutas e Mobilizações, aderindo ao movimento, participando dos atos e ações de luta que serão construídos no país todo.

A Reforma Administrativa (PEC 32), proposta de Bolsonaro e Guedes, acaba com os serviços públicos e entrega a saúde, a educação e a segurança aos interesses de grupos privados.

Ao invés de ter trabalhadores concursados, o governo poderá contratar empresas privadas para gerir os serviços prestados à população. Ou seja, você vai ter que pagar por um direito que é dever do Estado. A PEC 32 só interessa aos poderosos, que mais uma vez vão se beneficiar de um projeto que tira dos pobres para dar aos ricos.

Veja o local e horário dos atos em cada região:

http://contrapec32.com.br/?p=592

plugins premium WordPress
Scroll to Top