Fim do movimento de destruição da cultura

Aos gestores do governo Bolsonaro na cultura, exonerados no começo da semana, expressamos nossa profunda dor em razão dos atos de gestão cometidos por vocês que: implicaram na destruição das relações institucionais de trabalho com os servidores da cultura; resultaram na destruição do orçamento da cultura e na inoperância com que vocês conduziram a gestão, deixando nossas instituições à beira de um “apagão” de orçamento, comprometendo a manutenção das instituições da cultura; se revelaram no descompromisso com a vida dos trabalhadores e trabalhadoras da cultura em todo Brasil; têm como marca o abandono da democracia nos processos de tomada de decisão.

Lutaremos para que o assédio institucional, implementado por vocês, nunca mais volte a ocorrer em nosso Estado.
E, aliviados com o retorno da democracia ao cardápio das políticas públicas, desejamos à nova ministra Margareth Menezes e aos futuros gestores do agora recriado MinC o sucesso na gestão para que, juntos e compreendendo a História que vivemos nesses últimos 4 anos, possamos (re)construir um Ministério da Cultura que garanta os direitos culturais de tod@s s brasileir@s e valorize os seus servidores!